quinta-feira , novembro 21 2019
Casa / Agenda / Irandì – do barro ao ferro – Teatro negro em São Sebas

Irandì – do barro ao ferro – Teatro negro em São Sebas

Recuperar a nossa história preta, a nossa história africana é fundamento. O barro que usamos para construir nossas casas é fundamento – como na vila de Tiébélé, em Burkina Faso. O barro que fez cada tijolo que saiu da cidade de São Sebastião é a memória viva de que tudo que saiu das nossas mãos nos pertence e não a quem nos explora e nos expropria do nosso próprio poder de construir. O barro é fundamento, ao mesmo tempo em que alicerça nossa memória e a história de que o poder de construir está em nossas mãos.

O ferro é o nosso poder de luta, pois muito antes de ser a bala que interrompe nossas vidas e silencia nossa história, a nós nos cabia engenhosamente manuseá-lo: entre o nosso povo banto, a arte do ferreiro era divina, e, pela espada de Ogum, fazemos a guerra! Isso tudo que é a nossa verdadeira existência e memória, nos pertence, e cabe a nós existir a partir do negrume: tomar o barro para a nossa habilidade de construir nossas vidas – como sempre a memória se confirma na história – tanto agora no presente, como no passado.

E para quem nos impedir, que a guerra seja feita pela espada de Ogum!

O grupo de teatro negro Nós que aqui estamos surgiu do desejo em comum de fazer alguma coisa que materializasse nossa pretitude e nossas urgências criativas. Os encontros aconteceram nesses fluxos de estar em nossa cidade, São Sebastião, onde os diálogos foram resultado dessas urgências.

Acreditamos que amor é construção. Estar entre pessoas pretas e em lugares que amamos, desperta a necessidade de construir para fortalecer e permanecer. É preciso lembrar que temos obrigações com nossos ancestrais. Preservar sua memória, para que também sejamos cuidados. É preciso estar atento a nossa família, amigos e amores, para nos re-conhecermos e nos re-conectarmos. O domingo pra nós não é dia de missa, é dia de quilombo!

Grupo de teatro negro Nós que aqui estamos: Iara AlvesIanka BarrosLucas Silva, Marissa de Paula (Alua Siram), Nanda Fer PimentaRicardo Caldeira e Rodrigo Santiago

12 e 13 de janeiro, Casa de Paulo Freire
Quadra 201, Casa 07, Residencial Oeste

19 e 20 de janeiro, CED São Francisco
Quadra 17, Lote 100, São Francisco

Sábado e domingo às 20h
São Sebastião-DF

GRATUITO
Intérprete de libras no local
Não recomendado para
menores de 10 anos


📷 @henrique.silva1988

Este projeto é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal

FAC / Secretaria de Cultura
Governo do Distrito Federal

https://www.facebook.com/irandibarroaoferro/

Sobre Paulo Dagomeh

Paulo Dagomeh
Poeta, compositor e ativista cultural, fundou, com amigos, o grupo Radicais Livres e o Movimento Supernova. É membro do Colegiado Livro e Leitura.